<$BlogRSDUrl$>

terça-feira, novembro 25, 2003

Nós os (primeiros) cristãos 

A nossa doutrina não procede de qualquer teoria simplesmente humana.
Nós vivemos todos como de passagem.
Toda a terra estrangeira é nossa pátria
e toda a pátria nos é estrangeira.
Somos de carne, mas não vivemos segundo a carne.
Habitamos na terra, mas a nossa cidade é o Céu.
Obedecemos às leis estabelecidas, mas o nosso modo de vida supera as leis.
Amamos toda a gente e toda a gente nos persegue.
Tudo nos falta e tudo nos sobra.
Somos desprezados, mas no desprezo encontramos a nossa glória.
Amaldiçoam-nos e nós abençoamos.
Praticamos o bem e somos castigados como malfeitores.
Ao sermos executados, alegramo-nos como se nos dessem a Vida.

Numa palavra:
Os cristãos são no mundo o que a alma é no corpo.
A alma habita no corpo, mas não provém do corpo;
Nós habitamos no mundo, mas não somos do mundo.
A alma ama o corpo e os seus membros, mas o corpo odeia a alma;
Nós amamos aqueles que nos odeiam.
A alma está encerrada no corpo, mas contém o corpo;
Nós encontramo-nos detidos no mundo como num cárcere,
mas somos nós que contemos o mundo.
A alma imortal habita numa tenda mortal;
Nós vivemos como peregrinos em moradas corruptíveis,
esperando a incorruptibilidade dos céus.

Tão nobre é o posto que Deus nos atribuiu,
que não nos é possível desertar dele.


(Carta a Diogneto)

This page is powered by Blogger. Isn't yours?