<$BlogRSDUrl$>

segunda-feira, janeiro 12, 2004

Dias de espuma 

Como sabem, não gosto nada de fugir ao dharma deste blogue, ou seja, os temas são aqueles que são e evito cuidadosamente polémicas, que entre nós costumam ser estéreis.
Contudo neste caso não resisto. E não resisto porque descobri uma preciosidade bloguística: é o l´écume des jours cuja autora amavelmente nos traduziu para A espuma dos dias. Não o vou pôr nos meus links mas já o puz nos meus favorites. Porque este blogue é lindo. É imenso. É abissal. É isso tudo na sua auto-satisfação erudita e avançada. Não será chique a valer mas é progressista a valer. Não sei quem será esta Salcêde pós-moderna mas filei-a para sempre e todos os dias a irei ler. Não sei se conhecem "O Leopardo" de Giuseppe Tomasi di Lampedusa, o meu livro favorito. Tem lá uma parte onde Lampedusa descreve um momento de suprema delícia do príncipe de Salina: "não há prazer maior, mais requintado, do que ver alguém à nossa frente a realizar-se plenamente, absolutamente". E é este prazer que a autora deste blogue me proporcionou por ter escrito aquilo que hoje li. Para perceberem isto vou citar uma preciosidade desta senhora, escrita em 5 de Janeiro deste ano:
"Em Campo de Ourique, algures num cruzamento entre ruas, há um escaparate invulgar que ora aparece ora desaparece. Literatura religiosa, pode ler-se, e, noutro ponto, sirva-se. E eu, não me faço rogada e sirvo-me, sirvo-me 'à discrição'. Assim comecei uma pequena colecção de livros editados na sua maior parte nos idos de 50. Os textos, traduzidos do latim por padres portugueses, devidamente aprovados por reis e patriarcas do tempo da outra senhora (quem seria, essa outra senhora d'antanho?), têm a chancela do Depósito das Escrituras Sagradas - casa que já existiu em pelo menos dois lugares diferentes em Lisboa. Na Praça Luís de Camões e na Rua Passos Manuel - aprendi isto nas fichas técnicas dos livrinhos.
Charmes e mistérios àparte, a verdade é que desde sempre me pergunto se aquele escaparate é lícito. Será lícito, usar assim o passeio público para catequizar os transeuntes? A tolerância - essa palavra terrível - da pseudo-laica sociedade portuguesa para com as actividades directa ou indirectamente relacionadas com a Igreja, dá-me que pensar. Exibisse o escaparate literatura contendo informação sobre assuntos que efectivamente importa resolver - status quos que impedem a evolução, coisas que inibem a passagem das sociedades a outros estádios, debates que urge concluir, assuntos como a descriminalização do aborto, os direitos dos homossexuais, os dos deficientes, os dos emigrantes e outros excluídos do sistema -, e aposto que os livrinhos já teriam sido confiscados
" (os bolds são meus).
Já li nalgum blog amigo, não me lembro já onde nem quando: não há maior intolerância do que a dos militantes da tolerância.
E na minha leitura diária do jornal vou passar a procurar uma notícia que nos fale da apreensão pela PSP ou pelo IGAE de literatura contendo informação sobre assuntos que efectivamente importa resolver.
Extraordinário.

This page is powered by Blogger. Isn't yours?