<$BlogRSDUrl$>

sexta-feira, janeiro 16, 2004

Me, myself and I (Redux) 

As últimas duas semanas trouxeram ao Guia um maior número de leitores, graças certamente à simpática publicidade feita por blogues amigos. Neste momento estimo que os meus leitores regulares andem já pela dúzia. É um número simpático, até simbólico, e é quanto baste. A correspondência que me tem chegado desse leitores costuma ser estimulante e inspiradora.
Aparecem contudo por aí uns transviados. Um deles quer absolutamente saber quem eu sou e diz-me que tem uma ideia muito determinada a esse respeito. E eu digo-lhe que está completamente enganado. O anonimato asssenta-me bem pois não passo de um cidadão anónimo e vulgar.
Confesso-vos um detalhe embaraçoso: é que ao fim de quatro meses de blogue, ninguém mas absolutamente ninguém sabe que o tenho. Nem a mulher que eu amo e respeito e a quem nada escondo. Admito que possa parecer um pouco estranho mas talvez seja uma maneira de, como já disse, poder escrever aqui sem quaisquer condicionamentos mentais, com toda a liberdade interior, sobretudo relativamente a mim próprio.
Mas enfim, para não deixar este meu leitor frustrado na sua tenaz curiosidade, eu vou-lhe dizer não quem sou mas sim como sou. Para isso, e pedindo desculpa aos restantes, vou repescar um post antigo, pois nada encontrei que lhe pudesse acrescentar. Aqui vai a coisa:

Eu sofro, mas amo
Eu morrerei, mas vivo
Eu perco, mas luto
Eu ganho, mas nem sempre
Eu desprezo, mas sou amado
Eu sou causa de sofrimento, mas sou perdoado
Eu sou fraco, mas aguento tudo
Eu sou forte, mas sucumbo à tentação
Eu amo, mas sofro por amor
Eu tenho, mas não é meu
Eu quero, mas não devia querer tanto
Eu vivo, mas não para sempre
Eu sou feliz, mas não o mereço
Eu sou infeliz, mas nem sempre
Eu recebo, mas não me dou
Eu sei, mas não sinto
Eu sinto, mas não faço
Eu creio, mas não o suficiente
Eu compreendo, mas isso não chega
Eu venho, mas não fico
Eu vou, mas não volto
Eu consolo, mas não sou consolado
Eu sou amado, mas não acredito
Eu sou puro, mas orgulho-me disso
Eu sou pecador, mas arrependo-me
Eu sou impuro, mas amo meus defeitos
Eu não sou santo, mas quero sê-lo
Eu quero ser santo, mas tenho medo da santidade
Eu não perdoo, mas quero ser perdoado
Eu não perdoo, mas quero saber perdoar
Eu não sou puro de coração, mas quero ver o rosto de Deus
Eu não sou pobre de espírito, mas quero o Reino dos Céus
Eu sou pobre de espírito, mas não o quero reconhecer


Eu sou um homem assim, mas quero ser melhor
Eu sou um homem assim, mas Deus ama-me
Pois sou Seu filho e Ele quer-me de volta




Capisce?

This page is powered by Blogger. Isn't yours?