<$BlogRSDUrl$>

segunda-feira, março 15, 2004

"As notícias da minha morte são um pouco exageradas" 

Comecei pois por citar Churchill, esse grande teimoso. Faço isto porque verifiquei que o meu último post de 6ªfeira deu a vários leitores e bloggers amigos a percepção de que eu me preparava para interromper o Guia. O meu "brüder" David Bengelsdorff fez a propósito uma sábia reflexão, citando Eclesiastes, sobre qual será a esperança média de vida de um blogue. Por seu turno o meu irmão lá do Norte, o Fernando Macedo fez-me dois posts que são o mais belo incitamento a continuar que se pode ter. Aliás, Fernando, como os meus filhos são meio-sangue tripeiros, é com muito frequência que vou ao Porto e, particularmente ao magnífico Parque da Cidade. Passarei a estar muito atento aos ciclistas que por lá circulam, sobretudo àqueles que apregoam Cristo pedalando...
Também recebi vários mails, alguns belíssimos, alguns trazendo-me notícias de pessoas que julgava já extraviadas. A todos eles, Maria, Marcus, Pedro, Rui, etc., a todos eles agradeço a preocupação e cuidado.
Mas queria dizer a todos estes meus amigos que, inadvertidamente, foram por mim induzidos em erro do qual peço desculpa e passo a explicar.
Começaria por dizer que o Guia tem sido uma benção para mim, particularmente num período difícil da minha vida. Já aqui expliquei porquê e mantenho tudo o que disse. O que acontece é que, como já repararam, o conteúdo do Guia é e pretende ser um só: a reflexão sobre a minha Fé. Logo à partida decidi que não iria falar aqui de política, de guerras, do Benfica, de cinema, do meu dia a dia, enfim de muitas coisas que são importantes para mim, mas que decidi não precisar de blogues para falar delas. E tenho-me mantido razoavelmente coerente com isso. Como tal e como diz um amigo blogger, este Guia é assumidamente confessional e não mais do que isso. E assim continuará. E é aqui que a dificuldade surge.
A questão que coloquei na 6ª feira passada tem precisamente a ver com isto. É certo que a minha Fé é razoavelmente forte e tem-se fortalecido através do Guia. Mas é igualmente certo que os meus recursos teológicos são limitados. Não sou padre nem seminarista nem estudante de Teologia. Só tenho a catequese da 1ª comunhão, nem crismado sou.
Já li uma pequena parteda Bíblia, já li bastantes livros sobre o Cristianismo, um pouco de história das religiões, um pouco sobre outras religiões, mas a minha disponibilidade de tempo e de espírito para ler é (cada vez mais) limitada.
Não é pois um problema de falta de fé nem de ânimo (o qual contudo melhorou bastante este fim de semana pelas mensagens recebidas): é, prosaicamente, um problema de falta de matéria-prima. Na 6ªfeira senti, como já senti noutras alturas, que o "armazém" da minha fé não tem já muita coisa nova para vos dizer.
Contudo, e como bem notou um leitor amigo, eu estava a esquecer a importância do Espírito Santo. Por isso e como continuo com vontade, mais do que isso, necessidade de manter o Guia, e mantê-lo exactamente com o mesmo modelo que até aqui, confio que Ele há-de me iluminar e fornecer-me de conteúdo e ideias.
Às vezes deixo-me invadir pelas minhas deformações profissionais em coisas que nada tem a ver. E o meu fatal orgulho faz-me esquecer que a minha Fé não foi uma conquista minha mas sim uma graça que recebi.

This page is powered by Blogger. Isn't yours?